Influência de Características dos contadores na classificação de provisão e passivo contingente

  • Ulisses de Sousa
  • Ernando Fagundes
  • Rodrigo Rengel
Palavras-chave: Subjetividade, Passivo Contingente, Provisões

Resumo

Embora haja definição dos critérios para classificação de provisões, a norma contábil vigente abre espaço para questionamentos, visto que não especifica o que deve ser suficiente para provar uma saída do recurso e nem o que é suficiente para saber se o valor estimado é confiável ou não. O objetivo deste artigo foi verificar características demográficas dos contadores que influenciam na tomada de decisão referente situações que envolvam classificação de passivos contingentes e provisões. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, aplicada, descritiva. Para realização deste trabalho aplicou-se um questionário com contadores catarinenses. A amostra de pesquisa totalizou 47 participantes vinculados à FENACON. Foram coletados dados das características demográficas dos respondentes, que foram submetidos situações em que deveriam classificar cenários apresentados de ações trabalhistas contra as empresas em que atuam em passivos contingentes ou provisões. Os resultados indicam que os contadores respondentes desta pesquisa apresentaram entendimento sobre passivos contingentes e provisões divergentes das normas contábeis, mais especificamente o Pronunciamento Técnico (CPC) 25. A partir da análise dos dados obtidos, foi possível também verificar que algumas características demográficas têm forte influência nas escolhas de classificação sobre provisão e passivo contingente, e outras não afetam essa decisão.  Espera-se que esta pesquisa contribua ao apresentar dissonâncias entre o entendimento dos contadores e às normas contábeis vigentes, e possivelmente indicar a necessidade de maior discussão sobre a referida norma.

Publicado
2020-12-09
Como Citar
de Sousa, U., Fagundes, E., & Rengel , R. (2020). Influência de Características dos contadores na classificação de provisão e passivo contingente. REVISTA DE CONTABILIDADE DOM ALBERTO , 10(18), 247-273. Recuperado de https://revista.domalberto.edu.br/revistadecontabilidadefda/article/view/581